Tuesday, October 16, 2018

Uma narrativa em multimedia sobre uma autobiografia que estou a escrever


Escrever uma autobiografia não é um acto fácil de fazer.
No entanto e à luz duma lanterna faço-o.
Abaixo duma foto com a minha priminha Evinha que só tem 3 anos a segurar uma foto da minha gatinha Ilvie, segue um pequeno texto que escrevi sobre algo grave que aconteceu na minha vida em 2016 com inúmeras "caixinhas" feitas por inúmeras pessoas contra a minha pessoa e que me foi impedindo de desempenhar com acutilância o meu trabalho (que é quase todo mental/espiritual/emocional) até aos dias de hoje.


Citação do personagem Sandman do escritor inglês Neil Gaiman

 Tenho bem a noção do que ainda tenho e contra quem tenho de batalhar e não tenho qualquer tipo de medo de demônios físicos em "guerrinhas invisiveis" para quem as desconhece, pois tenho a perfeita noção da força que tenho e sempre tive emocional ou racional.

Citação do personagem Hellblazer criado pelo escritor inglês Alan Moore


Interlúdio com uma música genial dos Dust Brothers
num dos melhores filmes de sempre chamado "Fight Club" de 1999 do realizador David Fincher em pleno virar do século XX para o XXI com uma mensagem bem interessante sobre a vida e resiliência humana.






Fight club citação 


 
A Evinha com a Ilvie

Uma história verdadeira e real com toda a certeza finalizada com a frase "já não interessa" que me foi dita inúmeras vezes numa batalha desigual em pouco mais de dois anos contra inúmeras pessoas..
 Desde criança, talvez a mãe natureza decidiu colocar-me á prova....
 "Quando já nada interessa..."
 Perdes as tuas emoções, documentos e a tua gata de estimação chamada Ilvie estando adoentado e abandonado na rua... Já não interessa...
 Tentam matar-te... Já não interessa...
 Refazes a tua vida no teu canto com alguém... Já não interessa...
 És ajudado pela tua mãe e amigos de infância e adolescência... Já não interessa...
 Fazes manifestos, livros e exposições a nível mundial com artistas internacionais ao comunicares em vários idiomas... Já não interessa...
 Continuas a batalhar na vida com ilusão e emoção no teu trabalho nas tuas memórias e sonhos desde criança com montes de inimigos com imenso poder e vil metal que te tentam destruir e amigos que se tornam desconhecidos num qualquer acto de magia sem saberem duma qualquer realidade...Já não interessa...
 Tentas batalhar pelos teus direitos e pela tua família... Já não interessa...
 Fazes tudo pelos teus familiares mais queridos sejam crianças ou adultos tentando colocar um sorriso em todos eles... Já não interessa...
 Refugiaste no teu trabalho reconhecido a nível mundial.. Já não interessa...
 Afincadamente entregas o teu coração ao mundo... Já não interessa...
 Tentas tratar da tua saúde física... Já não interessa...
 Escreves sem parar enaltecendo o sexo feminino assim como o conceito de uma relação de seres humanos do sexo feminino e masculino e estás presente em todos os bons/maus momentos da tua família em união... Já não interessa...
 Estás sozinho várias vezes a falar com gente com muito mais poder e conhecimentos sobre leis que tu em vários papéis que desconheces... Já não interessa...
 Roubam-te todo o teu trabalho e o teu meio de sustento... Já não interessa...
 Amas a natureza e a tua cidade e todas as pessoas com as quais convives sempre sem sentimentos negativos de várias idades tentando mostrar quem és e sempre foste... Já não interessa...
 Não negas o teu passado ou o teu presente e sempre com ilusão no teu futuro... Já não interessa...
 Tentas pensar para ti mesmo "tudo interessa" e se vieste ao mundo, tens que colocar toda a tua força no mesmo, pois toda a gente te irá colocar obstáculos no mesmo devido a uma coisa chamada "dinheiro"...
 Pensas para ti mesmo: 
 "Talvez a natureza esteja a tentar colocar-me como uma mera árvore estática e com flores a caírem ao solo provenientes do teu corpo material".
 Esqueces a frase "já não interessa", pois o mínimo detalhe sempre contou para qualquer ser vivo nesta coisa chamada vida.
  Obrigado a todas as pessoas de ambos os sexos que na rua ou numa qualquer comunicação (fosse na internet ou na rua), me disseram algo tão simples como:
- Tudo interessa e tens que ser um super soldado...
 Obrigado especial ás minhas sobrinhas, sobrinhos, mãe, tias, primos, primas, amigos de todos os cantos do mundo, conhecidos, artistas internacionais de vários países que sempre viram que um simples rapaz nascido na mais bela cidade do mundo continua a ser um super soldado sempre gerido na dualidade razão e emoção....
 TUDO NUMA COISA CHAMADA "VIDA" DE FACTO INTERESSA...

Interlúdio 
A banda Portuguesa Mão morta interpretando uma música genial do albúm "Müller no hotel hessischer hof" de 1997 inspirada em contos do escritor alemão Heiner Müller que faleceu a 30 de Dezembro de 1995 (curiosamente o dia é o mês em que o seu corpo material deixou este planeta corresponde à minha data de nascimento).


Escritor alemão Heiner Müller

Heiner Müller - Hamlet maschine - peça teatral de 2017 pelo encenador norte americano Bob Wilson

Excerto de Hamlet máquina escrito por Heiner Müller em 1977 


Monólogo Feminino:
Ofélia (coro/Hamlet)
Eu sou Ofélia.
Aquela que o rio não conservou.
A mulher na forca. A mulher com as veias cortadas. A mulher com excesso de dose SOBRE OS LÁBIOS NEVE. A mulher com a cabeça no fogão a gás.
Ontem deixei de me matar.
Estou só com meus seios, minhas coxas, meu ventre.
Rebento os instrumentos do meu cativeiro - a cadeira, a mesa, a cama...
Destruo o campo de batalha que foi meu lar.
Escancaro as portas para que o vento possa entrar e o grito do mundo.
Despedaço a janela.
Com as mãos sangrando rasgo as fotografias dos homens que amei e que se serviram de mim na cama, na mesa, na cadeira, no chão.
Toco fogo na minha prisão.
Atiro minhas roupas no fogo.
Exumo do meu peito o relógio que era o meu coração.
Vou para rua, vestida em meu sangue.




Letra em português
Esta noite atravessava uma floresta a sonhar
Ela estava cheia de horror. Seguindo a cartilha
Os olhos vazios, que nenhum olhar compreende
Os bichos erguiam-se entre árvore e árvore
Esculpidos em pedra pelo gelo. Da linha
De abetos, ao meu encontro, através da neve
Vinha estalando, é isto um sonho ou são os meus olhos que a
vêem,
Uma criança de armadura, coiraça e viseira
A lança no braço. Cuja ponta faísca
No negro dos abetos, que bebe o sol
O último vestígio do dia uma seta de ouro
Atrás da floresta do sonho, que me faz sinal de morrer
E num piscar de olho, entre choque e dor,
O meu rosto olhou-me: a criança era eu.


Segunda citação do personagem Sandman criado pelo escritor inglês Neil Gaiman 


Continuando a desempenhar o meu trabalho da forma que me é permitida, vou conhecendo inúmeros artistas internacionais, como os exemplos, do artista norte americano Erik Von Erik e mulheres/artistas incríveis, fascinantes e sobejamente conhecidas a nível internacional como são os casos da artista finlandesa Terhi Ekebom ou da Russa Svetlana Zombierella Nagaeva com quem trabalho em vários projectos com mais de 100 artistas de diversos países assim como na presença dum gatinho que é da minha sobrinha mais nova Letícia, que se chama Mi gala (nome escolhido devido a ter pensado num animal de gala que pede toda a admiração de seres humanos) e que lhe foi oferecido pela minha mãe.
 Abaixo seguem imagens ilustrativas de obras de arte de artistas que mencionei anteriormente assim como uma narrativa ficcional com os mesmos com quem comunico noutros idiomas e com interlúdios multimedia.

Interlúdio 02 com uma música da banda musical espanhola Migala.



A observar um quadro de óleo estático a ilustrar um qualquer momento no tempo onde não escolho o vento ou o lamento como armas numa guerra invisivei com quartel e coloco gelo num qualquer vulcão em erupção.


Erik Von Erik - Gelo 

Com o Mi Gala - 01
Com o Mi Gala - 02
Com o Mi Gala - 02
Com o Mi Gala - 03

Erik Von Erik - Combustão 

Cigarreira, caneta e lápis decorados com o motivo da nobre arte da calçada Portuguesa 

Momento 01 

Vou pensando num trabalho da minha amiga e magnífica artista finlandesa Terhi Ekebom que me ofereceu um desenho da fase de crescimento de uma mulher para personalizar numa t-shirt e que irá dar aulas de arte na Rússia numa digressão e noutro projecto/livro que estou a escrever com a ajuda de mais de 50 artistas internacionais  sobre a personalidade da minha amiga Svetlana Zombierella Nagaeva que é uma compositora nascida na Rússia e que vai fazer uma digressão pelos Estados Unidos.
 Tenho a perfeita noção que a minha amiga Terhi nascida na Finlândia, para além de ser uma magnífica artista é uma grande mãe e inspira-se na natureza para desenvolver o seu trabalho e na minha modesta opinião é uma das melhores almas que conheci em toda a minha vida.
 Tenho também a mesma noção que ajudei a minha amiga Russa Svetlana quando andava algo "perdida" após ser despedida em Fevereiro deste ano da sua banda de sempre para a qual contribuiu com a sua imagem e belíssima presença durante mais de 10 anos dedido a um maschismo exacerbado e que os membros da banda onde ela actuava após verem a imagem dela com obras de arte por alguns dos melhores artistas contemporâneos internacionais com a minha ajuda e do conceito Invicta Indie Arts, a voltaram a contratar em Agosto deste ano.
 Tudo é bom quando acaba e termina num final perfeito numa qualquer curva nesta estrada chamada vida.

Svetlana num telefone análogico 

Obra de arte do artista norte americano Erik Von Erik baseado numa simples cabine telefónica

Com uma t-shirt personalizada baseada na personagem Zombierella pelo artista italiano Stefano Zattera


Obra de arte inspirada na minha amiga e compositora musical de origem russa Svetlana Zombierella Nagaeva pelo artista japonês Garbage which Burns 



Trabalho artístico da artista finlandesa Terhi Ekebom personalizado numa t-shirt com a qual me movimento

Momento - 02 

Uma citação de um dos livros da minha vida "diferença e repetição" do escritor francês Gilles Deleuze 


"O génio do eterno retorno não está na memória, mas no desperdício, no esquecimento tornado activo(...) 
Assim, a negação como consequência resulta da plena afirmação, consome tudo o que é negativo e consome-se a si próprio no centro móvel do eterno retorno. Se o eterno retorno é um círculo, é a Diferença que está no centro, estando o Mesmo apenas na circunferência - centro descentrado a cada instante, constantemente tortuoso, que gira apenas em torno do desigual.»
«A negação é a diferença mas a diferença 
vista do lado menor, de baixo. Invertida, vista de cima para baixo, a diferença é a afirmação. Mas esta proposição tem muitos sentidos: que a diferença é objecto de afirmação; que a própria afirmação é múltipla; que ela é criação, mas também deve ser criada, afirmando a diferença, sendo a diferença em si mesma. Não é o negativo que é o motor..." (Gilles Deleuze, Diferença e repetição, pags 120-121)



Por vezes perguntam-me porque é que não tenho fotos normais neste blogue ou em redes sociais e eu parto sempre de um estilo que adoro desde que era adolescente que é o expressionismo alemão, que foi um estilo cinematográfico dos anos 20, que se caracterizava pela distorção de cenários e personagens com recursos de fotografia com o objetivo de expressar a maneira como os realizadores viam o mundo.
 Eu gosto de expressão/mímica e personagens, pois nunca gostei muito de fotografias todas "bonitinhas", pois não consigo ver um mundo estático e sem a mínima expressão.
 A fotografia serve para comunicar o que nos vai na alma e não para agradar a gregos ou troianos nesta existência.



Gabinete das Figuras de Cera (Das Wachsfigurenkabinett, 1924, Alemanha, 65 min.) Realizado pelos artistas alemães Paul Leni, Leo Birinsky.




Interlúdio 03 - vídeo musical da banda norte americana Smashing Pumpkins titulado "Ava adore" e distribuído a nível internacional em 1998 no albúm "Adore" com uma clara e demonstrativa homenagem ao expressionismo alemão no mesmo.



Letra em inglês 
It's you that I adore
You'll always be my whore
You'll be a mother to my child
And a child to my heart
We must never be apart
We must never be apart
Lovely girl, you're the beauty in my world
Without you, there aren't reasons left to find
And I'll pull your crooked teeth
You'll be perfect just like me
You'll be a lover in my bed
And a gun to my head
We must never be apart
We must never be apart
Lovely girl, you're the murder in my world
Dressing coffins for the souls I've left to die
Drinking mercury to the mystery
Of all that you should ever leave behind
In time
In you, I see dirty
In you, I count stars
In you, I feel so pretty
In you, I taste God
In you, I feel so hungry
In you, I crash cars
We must never be apart
Drinking mercury to the mystery
Of all that you should ever seek to find
Lovely girl, you're the murder in my world
Dressing coffins for the souls I've left behind
In time
We must never be apart
And you'll always be my whore
'Cause you're the one that I adore
And I'll pull your crooked teeth
You'll be perfect just like me
In you, I feel so dirty
In you, I crash cars
In you, I feel so pretty
In you, I taste God
We must never be apart
Simplesmente sei que nasci no norte dum país à beira mar plantado na mais bela cidade do mundo, que não sou uma estrela, que sei bem as minhas origem e que sei contar no mínimo até mil, que adoro expressionismo alemão, o outono, ver os comboios a passar enquanto trago vestida uma t-shirt personalizada com um desenho de uma mulher pelo artista Canadiano Dave Cooper como se pode ver nas fotos abaixo.


01 
02

03
04 
05 

Obra de arte inspirada no Outono pelo artista Sul Coreano Kang Sang bok 

Interlúdio 04 - Vídeo musical da banda norte americana Pixies do álbum "Surfer Rosa" lançado a nível internacional em 1988



Letra no idioma inglês 
I've got something against you
I've got something against you
Here we go
I've got something against you
I've got something against you
I've got something against you
I've got something against you
I've got something against you
Oh yeah, I am one happy prick

Momentos capturados num simples dispositivo com obras de arte, palavras e emoção.


01

02

03

Muitas vezes dizem-me que sou muito rápido e outras vezes que ando devagar como se estivesse capturado num espelho a observar uma t-shirt com o personagem rato Mickey criado pelo artista americano Walt Disney e um trabalho artístico baseado em mim pelo artista Argentino Germán Genga.
Abaixo seguem imagens de algo em que acredito.


01
Frase do sábio Chinês Confúcio 
A observar a natureza 
Um pensamento escrito por mim numa foto 

Abaixo segue uma imagem ilustrativa de uma notícia que saiu a semana passada no jornal de notícias que é o diário matutino mais lido em Portugal e um pensamento sarcástico/irónico escrito por mim.
 "Esta notícia é falsa e tento constatar com factos:
 Um país que anda á espera dum rei há mais de 400 anos que ficou perdido no nevoeiro?
 Um país que adora telenovelas e redes sociais?
 Um país que trata os seus melhores habitantes como atrasados mentais?
 Não tem gente doente, mas sim pessoas que adoram essa maravilha a nível mundial que é o "FADO"....
 Por via das dúvidas, vou continuando a gostar de rock and roll....
 Não penso em Alcácer Quibir e vivo noutro lugar para todo o sempre."



Para finalizar esta pequena narrativa deixo abaixo um trailer de um filme que adoro do realizador norte americano Hal Harley chamado "Amateur" de 1994, protagonizado pelo actor norte americano
Martin Donovan (que sofre de amnésia no mesmo), pela actriz romena Elina Lowensson (que é a mulher do actor principal) que se dedicou ao submundo e pela actriz francesa Isabelle Huppert que desempenha o papel de uma ex freira com a genial música "water" do albúm "dry" da compositora inglesa PJ Harvey.







Letra em inglês "water" 
Water
Walking
Walking on water
Walking
Walking on for years, and years, and years
Taking it into my head
Living by the right lines
Reading what the very man said
Water
I'm walking
Walking on water
Walking
Walking on
Lying on eleven years
Taking it into my head
Mary, Mary drop me softly
Been reading what your very man said
Lying on eleven years
Taking it into my head
Leave my clothes on the beach
I'm walking down into the sea
Prove it to me
Prove it to me
Prove it to me
Now the water to my ankles
Now the water to my knees
Think of him, all waxy wings
Melted down into the sea
Mary, Mary, what your man said
Washing it all over my head
Mary, Mary, hold on tightly
Over water, under the sea
Wa-wa-wa-water
Wa-wa-wa-water
I'm walking
Walking on wa-wa-wa-water
I'm walking
Walking on wa-wa-wa-water
Walking
Walking on wa-wa-wa-water
Walking
Walking on wa-wa-wa-water


Compositora inglesa PJ Harvey


Obrigado a todos os artistas internacionais que me apoiam neste projecto, assim como no livro dedicado à personagem Zombierella ou à antologia "Lost in a Nordic Dream" que estou a compilar em livro com a ajuda de artistas nórdicos assim como a todos os artistas internacionais que me apoiam, apoiaram ou me irão apoiar em projectos desenvolvidos por mim com a minha alma na mais bela cidade do mundo.


Com uma t-shirt personalizada com um trabalho artístico baseado em mim pelo artista Argentino Mr Ed enquanto seguro um trabalho artístico do artista Canadiano Dave Cooper


Obrigado especial á minha priminha Evinha, à minha gatinha Ilvie, à minha sobrinha mais nova Letícia, ao gato Mi Gala, ao artista norte americano Erik Von Erik, ao Argentino MR Ed, ao Sul Coreano Kang Sang Bok, ao Japonês Garbagewhichburns, ao Canadiano Dave  Cooper, à finlandesa Terhi Ekebom, ao italiano Stefano Zattera e à minha amiga e compositora musical russa Svetlana Zombierella Nagaeva pelas imagens que ilustram esta narrativa.

Com a minha sobrinha mais nova Letícia 


Manuel 




Wednesday, October 10, 2018

Info about Zombierella's book to be published in 2019 with help by international artists


Writing a book about my friend and excellent Russian musician Svetlana Zombierella Nagaeva while visioning its design in my mind while trying to negotiate it with a world wide known publisher is an hard task to assemble.
 I know that I've help by some of the best contemporary international artists that I know of and that they back me up on this project and that Svetlana also does (right now she's touring the states with her band until Halloween is over while I'm gathering all artworks based on her), I think that the book will be published and world wide distributed in March or April 2019.
 I've thought also on creating today a funny narrative with some dialogues between myself and Svetlana that's a really nice lady and XXI century woman.
 Below are some pics of myself and Svetlana with interlude moments with videos as a sort of multimedia narrative.

Fictional dialogue

I'm lost in the most prettiest city in the whole wide world and while gazing a statue in it, I ask Svetlana this: 
- Are you there?
- Let's surf and rolla?



01

Svetlana :
I'm playing drums now, can you please hold on a second? 
I'll buy you cigarettes and you'll pay me a coffee with cream, ok? 

02

First interlude : Messer Chups song and vídeo "Surf and rolla" with Svetlana on it.


I'm near a huge tree wearing a t-shirt based on Czech writer Franz Kafka from Prague and I ask this to Zombierella
- Can you smile while playing a sexy musical instrument?


03

Zombierella blinks me an eye and with a smile, she says this to me:
- I'll be in a book with this look running free.


04


I'm trying to write some sort
 of narrative for this book inspired in Portuguese masterpiece "Os Maias" written by Portuguese writer Eça de Queirós and I ask Svetlana this:
- Have you ever read this book? 

05

She answers me this:
- No, I haven't.
- I'm playing bass right now for a show.
- Can you please give me a copy of that book for me to read at high speed?

06


Second interlude: Russian animator Garri Bardin "Adagio" with the composition Adagio in G minor by Venetian master Tomaso Albinoni that tells us a bit about intolerance that always existed in world history with emotionless human beings.
I've thought on putting this animation here because Svetlana was born is Russia as Garri  also was and in our conversations regarding this book project never existed intolerance while I was communicating either with Svetlana or international artists.




Sometimes I'm a bit confused in a mimic movement like in the picture shown bellow.


07

Svetlana tells me this: 
- I can also play violin.
- You want to create a movement with a song, is that it?

08


Second interlude: A monologue by one of the main characters from Carnivale TV Series named Samson that had two seasons starting in September 2003 and finished in March 2005, that was Interpreted by American actor Michael J. Anderson (that was also an actor on David Lynch's "Twin Peaks" TV series that both me and Svetlana love). I've thought on this particular dialogue because of how he clearly whispers us in the link below about the evil and good that always existed since the beginning of mankind.




Samson: Before the beginning, after the Great War between Heaven and Hell, God created the Earth and gave dominion over it to the crafty ape he called Man; and to each generation was born a creature of light and a creature of darkness; and great armies clashed by night in the ancient war between Good and Evil. There was magic then, nobility, and unimaginable cruelty; and so it was until the day that a false sun exploded over Trinity, and Man forever traded away wonder for reason.


I'm staring at a mirror in sunglasses and I see a grizzly bear in it.

I ask Zombierella this:
- Hey, can you later send me a picture of a Grizzly bear when you're touring U.S.A?



09

Svetlana answers me this:
- Of course that I can.
- I'll try to charm it with this magnificient harp and the sound that it makes.


10


Third interlude: I don't know why but sometimes people think that I don't comunicate with Svetlana on this project but I really do and when people are a bit "confused", I tell them about the song below by the American band Sonic Youth "My friend Goo" that was released in 1990 in the masterpiece album "Goo" with illustrations with a sort of narrative by American artist Raymond Pettibon, where members of this band were imagining "imaginary real friends".




"My friend Goo" lyrics 

My friend Goo has a real tattoo
She always knows just what to do
She looks through her hair like she doesn't care
What she does best is stand and stare
She can play the drums set too
And the boys say, "hey Goo what's new?"
My friend Goo just says, "Hey you"
My friend Goo just says, "Hey you"
I know a secret or two about Goo
She won't mind if I tell you
She likes to wear green underwear
And lays down most anywhere
She doesn't have nothing to do
And the boys say, "hey Goo what's new?"
My friend Goo goes, "Hey you"
My friend Goo goes, "Hey you"
I know a secret or two about Goo
She won't mind if I tell you
I know a secret or two about Goo
I know


I continue my inner dialogue with Svetlana by telling her this in Portuguese:
- Move your face towards the sun and darkness will be left behind.


11

Zombierella tells me this:
- I toy with darkness by giving it light.

12

- Let's surf and rolla? 


13

I'm a bit lost inside myself while being an artwork by Canadian Artist Stanley Wany wearing a Bauhaus t-shirt with a tribute to Hungarian actor Bela Lugosi by them and I reply her with a question:
- Why not? 


14

I ask Svetlana this:
- Will we descend spiral staircases with our hearts, souls and minds? 


15

She replies me this:
- If it has pink baloons at its bottom, why not?

16


I'm trapped inside a mirror with a printed drawing based on myself by Argentine Artist Germán Genga and I suddenly realize that I'm not undead.

17

Svetlana tells me this:
- Aren't you a real vampire?
- Are you an actor like Bela Lugosi?


18

Fourth interlude: a dialogue between characters Doctor Van Helsing and Dracula in 1931 masterpiece movie "Dracula" starring Bela Lugosi as "The Count" and directed by Todd Browning




 I continue the dialogue with Svetlana a bit lost with a personalized t-shirt of a XXI Century woman with an awesome picture by Brazilian photographer Alex Korolkovas with Brazilian model Barbara Nogueira in some mountain telling her this:
Your hair's perfect.
- Love your bike.

19


She answers me this:
Maybe I can give you a hike.

20

I make a sudden movement with my hands wearing a Franz Kafka t-shirt bought in Prague and I ask Zombierella this:
- Can I borrow your character for a while within a smile?

21

She answers me this to some mike:
- Of course that you can, promise me that you'll make a good use of it.


22


Fifth interlude: An astonishing tribute video to Peaky Blinders TV series in between life and death 


I only know one thing in this life that is the fact that I was born in a country where real surrealism exists and that I'm trying to finish a book based on my friend Svetlana Zombierella Nagaeva with printed pics from her in common notebooks and that she's a real woman, she isn't a vampire at all and that she'll be touring U.S.A and I'll be writing and taking pictures for a book based on her.


23


24

Sixth interlude: Portuguese writer Mário Cesariny talking about the country where I was born.




Svetlana and her character are a force of nature and I'm aware of it, maybe she's a natural element like fire is and maybe I'm the element water inside some glass like in the picture shown below.


25

International artists always were and always will be the most gentle souls in the whole world because they do know how to capture an individual inner soul, below are some examples of American artist Erik Von Erik, Spanish Artist Ivan Del Rio and Germán Artist Oliver Blees that captured Zombierella's essence among others that can be seen with narratives in previous posts about this project in this same blogue (including an exclusive interview by myself to her as a sort of coffee shop talk).


Erik Von Erik - Zombierella 

Ivan Del Rio - Zombierella

Oliver Blees - Zombierella


Below is the still unfinished list of international artists that already created artworks based on Zombierella, I do apreciate all your support in this book project created by me and Svetlana.
Hope that more can join this wild roller coaster ride and please feel free to contact me or give me advices about this project.
I know that Svetlana will send me pics of her American tour with her band.


Musician/character/musician  Zombierella Nagaevah with help by the following thirty international artists that already created artworks based on her organized by 18 countries:

Argentina

Martin Arrizabalaga

German genga

Pablo Burman

Teke Teke

Australia

Tim Grace

Belgium

Christophe Swijsen

Brazil

Fabio Vermelho

Gilmar Fraga

Denmark

Henrik Kim Rehr

Finland

Terhi Ekebom

France

Beuh

Isabel Pessoa

Germany
Oliver Blees

Italy 

Marco Polenta

Rolando Cicatelli

Stefano Zattera

Indonesia

Rico Irdam Ardiansyah

Japan 

Garbagewhichburns

John Kurokawa

Jordan 

Mike V.Derderian

Mexico

Gaston Ortiz

Poland

Bartosz Jekiel

Nikodem Cabala

Russia

Sasha Larenkov

Serbia

Branko Djukic

Spain 

José Luis Ágreda

Jon Ander Azaola

Ruben Pellejero

Toni Benages Gallard

Sweden 

Nicolas Krizan

Turkey

Ayse Ihrem Maktas

U.S.A
Erik Von Erik


Thanks for your awesome support, you're really the best.



Seventh interlude: a magnificient song by British band Bauhaus named "God in an Alcove" from their debut album dated from 1980 named "in the flat field" dedicated to French writer Marquis de Sade that was born in 2nd June of 1740 and whose writings are loved by millions of readers.

I just love the detail on this song when Peter Murphy's microphone doesn't work anymore near its end and ends it with this sentence: "change the mike" 



"God in an Alcove" lyrics

Go and look for the dejected once proud
Idol remembered in stone aloud
Then on coins his face was mirrored
Take a look it soon hath slithered
To a fractured marble slab, renunciation clad
His nourishment extract from his subjects
That mass production profile
He's a God- in- in an alcove
Once he spread the rain
So they dreamt in vain
Once he spread the wheat
Had made garlands for his feet
Until the lily poet of our times
Horizoned on the line
Love became the in theme then
Opposing fakers thrice by ten
Don't perceive his empty plea
That redundant effigy
He's a God- in- in an alcove
Take in view his empty stool
What's left is satin cool
Clawing adornment for his crimes
They saw they had to draw the line
So they sent him far away
So they sent him far away
To a little alcove
To a little alcove
All alone
He's a God, a God
Now I am silly
Now I am silly
Silly, silly, silly, silly
Silly




I know that U.S.A is a great country and that sometimes Americans only think on money, but I'm sure that my friend Svetlana Zombierella Nagaeva won't be beaten there because she's really pretty and I'm sure that Americans are kind to pretty ladies.



Eight interlude : Dialogue below with one of the main characters named Al Swearengen interpreted by British actor Ian McShane 
from the sublime Deadwood TV series that had 3 seasons from March 2004 till August 2006 and that shows viewers of how U.S.A grew up as a country.




Al: (Sits, lets out a sigh) Why ain’t you up and running again?
Merrick: I’m in despair. The physical damage is repairable, but the psychic wound may be permanent.
Al: (After a pause.) You ever been beaten, Merrick?
Merrick: (Rolls his eyes) Once, when I thought I had the smallpox, Doc Cochran slapped me in the face —
(Al slaps him.)
Merrick: Ah! (He stares at Al, touching his cheek — he leans forward) Stop it, Al.
Al: Are you dead?
Merrick: Well, (touches cheek) I’m in pain, but no, I’m obviously not dead.
Al: And obviously you didn’t fucking die when the Doc slapped you.
Merrick: No.
Al: So including last night, that’s three fucking damage incidents that didn’t kill you. Pain or damage don’t end the world, or despair, or fuckin’ beatings. The world ends when you’re dead. Until then, you got more punishment in store. Stand it like a man — and give some back.

Hoping that in 2019 this book and other projects that I've in mind can be turned into reality with help by some of the best contemporary international artists and that I can rest a bit and watch Peaky Blinders fifth season that will start next year with a bit of less work.






Special thanks to my friend/XXI century woman/musician Svetlana Zombierella Nagaeva that has an awesome character.

Manuel